Uma psicóloga diz que o segredo para viver mais tempo pode ser a vida social

Qual é o segredo da longevidade?

Não é uma pergunta fácil de responder. Algumas pessoas dizem que é dieta. Outras pessoas dizem que isso está reduzindo o estresse ao mínimo.

Mas de acordo com a especialista em longevidade, Susan Pinker, não é nenhuma dessas coisas.

Depois de estudar uma área em uma ilha italiana no Mediterrâneo conhecida pela longevidade de seus ocupantes, ela descobriu que há um fator específico em viver muito tempo que ignoramos.

Então o que é?

Na brilhante palestra TED abaixo, Susan Pinker diz que, no mundo desenvolvido, as mulheres vivem em média 6 a 8 anos mais do que os homens. Essa é uma lacuna enorme.

Mas há um lugar no mundo que contraria essa tendência. É uma zona montanhosa da Sardenha, uma ilha italiana no Mediterrâneo, entre a Córsega e a Tunísia.

Há seis vezes mais centenários do que no continente italiano, a menos de 320 quilômetros de distância.

Há dez vezes mais centenários do que na América do Norte. É o único lugar onde os homens vivem tanto quanto as mulheres.

Por quê?

Ela descobriu que os genes são responsáveis ​​por apenas 25% de sua longevidade. Os outros 75 por cento são estilo de vida.

Então, o que estão fazendo certo em seu estilo de vida? Bem, de acordo com Pinker, todos eles vivem em casas bem espaçadas, becos e ruas entrelaçadas.

Isso significa que as vidas dos moradores se cruzam constantemente. Como a maioria das aldeias antigas, Villagrande não poderia ter sobrevivido sem essa estrutura, porque a defesa e a coesão social definiram seu projeto.

Então, o que os dados mostram em relação à longevidade?

Pinker descobriu que o preditor número um de uma vida longa são os relacionamentos íntimos. Ou seja, ter pessoas a quem você pode recorrer quando precisar de ajuda e ter pessoas com quem conversar quando estiver passando por uma crise existencial.

O segundo fator mais importante?

Segundo Pinker, sua integração social. Isso significa o quanto você interage com as pessoas no decorrer do dia. Com quantas pessoas você realmente fala.

Por quê? Porque a interação face a face libera toda uma cascata de neurotransmissores e eles o protegem agora no presente e no futuro.

Simplesmente fazer contato visual com alguém, apertar as mãos, dar um high-five em alguém é o suficiente para liberar oxitocina, o que aumenta seu nível de confiança e diminui seus níveis de cortisol, o que diminui seu estresse. E a dopamina é gerada, o que nos dá um pouco alto e mata a dor.

Tudo isso passa sob nosso radar consciente, e é por isso que muitos de nós combinamos a atividade online com a atividade real. Mas Pinker diz que agora temos evidências reais de que há uma diferença.

Para se aprofundar nesta pesquisa fascinante, assista ao brilhante TED de Susan Pinker abaixo, onde ela mostra tudo: